PROGRAMA CHEMGARD TDS

O programa CHEMGARD TDS teve sua origem na década de 80 e foi implantado no Brasill sob a responsabilidade e supervisão técnica do engenheiro Edgar E. Watanabe.

Com um conceito revolucionário e bastante inovador, sofreu resistências acirradas pelo mercado tradicional da época, mas com trabalho sério e criterioso, acabou por demonstrar sua superioridade e eficiência e no final, os resultados falaram por si mesmo. Sua formulação atual é o resultado de mais de duas décadas de pesquisas e experiência de campo, tendo atingido o auge de sua evolução.

OBJETIVOS DO PROGRAMA CHEMGARD TDS: DISPERSAR OS SAIS PRESENTES NA ÁGUA DE ALIMENTAÇÃO PROVENIENTES DAS CONTAMINAÇÕES EXISTENTES NO SISTEMA DE GERAÇÃO DE VAPOR.

VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DO PROGRAMA CHEMGARD TDS: AS SUPERFÍCIES DE TROCA TÉRMICA LIMPAS, COM MENOR FORMAÇÃO DE LAMA, RESULTANDO EM MAIOR EFICIÊNCIA NA GERAÇÃO DE VAPOR E ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL.

PROGRAMA CHEMGARD TDS: BASE TEÓRICA:

No quadro à esquerda, temos os tres princípios básicos de ação do programa CHEMGARD TDS nos sais presentes na alimentação, causando a deformação dos cristais de incrustação, mantém dispersos os cristais já formados e evita a formação de novos, através da solubilização de parte dos componentes salinos prestes a precipitar.

Nos quadros abaixo, temos este conceito de forma mais clara:

 

  1. - Os sais solúveis presentes na alimentação se concentram na caldeira, até atingir o ponto de saturação. A partir disso, precipitam e formam cristais aderentes e resistentes de incrustação.
  1. - Na superfície metálica, em presença das moléculas TDS, os grupos funcionais interferem na estrututa cristalina, enfraquecendo-a e permitindo quebras e rompimentos da incrustação.
  1. -Na massa de água, com a precipitação já ocorrendo, mas ainda sem a cristalização, as partículas são absorvidas pelos grupos funcionais, mantendo-os inativos e inaptos a iniciarem o processo de cristalização.
  1. Na parte dos sais que ainda não iniciaram a precipitação, ocorre uma atração eletrostática entre os íons salinos e os ativos da molécula TDS, que acaba por mantê-los solubilizados e dispersos, antes mesmo que venha a ocorrer a precipitação.

 

O resultado deste programa perfeitamente aplicado e dimensionado é a verificação de superfícies limpas, durante as paradas para inspeção, e no processo, maior vida útil da caldeira, menor consumo de combustível e maior segurança!